quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Design Sustentavel


Ando apaixonada e maravilhada com design sustentável, e os orientais estão em destaque.
O designer Hu Xinyuan criou uma lixeira simples para escritório, porém com uma adaptação bem legal para  ajudar o dono a reciclar seu lixo. Assim, o lixo úmido e orgânico pode ser separado dos papeis rasgados, garrafinhas de água e latas de refrigerante. A lixeira Trash classification apesar de ter sido desenvolvida para escritórios pode ser utilizada em qualquer lugar.  O que vale é  o seu lixo seja classificado e descartado de forma adequada. É uma pena que esse projeto seja  ainda um protótipo, mas é uma idéia bem legal que se as empresas aderirem o meio ambiente agradece.


11 comentários:

  1. Nss q legal msm!!
    Gostei mtuu do seu Blog viu, iniciativa maravilhosa, Parabenss!!

    ResponderExcluir
  2. Bacana..
    Por isso que o futuro do planeta está nos reciclaveis.. Deviam criar muitas outras coisas com reciclaveis,para ver se as pessoas tomam conhecimento do quanto isso é importante..
    Principalmente empresas..

    Se quiser retribuir,
    http://redesenhei.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Que legal, já viu pcs reciclados?

    ResponderExcluir
  4. Ahh, eu não tenho link, eu vi na feira da fietec, "computadores sustentaveis", procura por TI verde.

    ResponderExcluir
  5. E por falar em atitude sustentável, o que você acha de Belo Monte, onde a empreiteira apesar de não atender a nenhuma das 40 condições para continuidade da obra, ainda assim recebeu uma autorização para início da obra em caráter provisório (leia-se iniciar o desmatamento)?

    ResponderExcluir
  6. Rabboni,

    Esse é um assunto antigo (desde de 1975) e polêmico ao extremo. Eu acho essa liberação um descaso total das forças político-legais, o impacto ambiental é enorme e irreparável. Só li uma matéria que só essa autorização em caráter provisório acarretará no desmatamento de 238 hectares necessários à montagem da estrutura e dos acampamentos nas regiões, isso na minha concepção é algo ilógico. Já foram listados mais 32 pontos de impacto direto ao meio ambiente, na minha percepção os “ganhos” e “benefícios” para a defesa da construção não são suficientes para tamanho do desastre ambiental. Estamos em um momento de preocupação e preservação do meio ambiente, estamos no século da “bandeira” da sustentabilidade. Bem! Que as vezes acho que o Brasil ainda não levantou essa bandeira. Creio que cabe a nós fazer pressão nas forças político- legais para que isso não aconteça. Ah! vale lembrar também que estamos vivendo um momento de novas descobertas tecnológicas será que essa obra é necessária?!
    Para quem acredita que essa atitude não é nada sustentável, diversas ONGs criaram um baixa assinato na Internet. Salve o Rio Xingu
    Segue o link: http://salsa.democracyinaction.org/o/2486/o/2486/l/por/p/dia/action/public/?action_KEY=4772

    ResponderExcluir
  7. Passando pra deixar um beijo *--*
    com os recliclaveis dá pra fazer coisas lindas.


    =*

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente acho que isso não adiantaria muito, pois já temos até coletores separados para reciclagem em praticamente todas as empresas e ninguém usa!!! Uma idéia muito legal que eu vi uma vez eram cestinhas de basquete em cima das lixeiras, para incentivar as pessoas a jogarem as bolinhas de papel no lixo ao invés do chão! :]

    ResponderExcluir
  9. MAIS ESSA!!!!
    As medidas condicionantes de parte do consórcio Norte Energia S.A, responsável pela construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA), não estão sendo cumpridas, segundo alerta feito pelo Ministério Público Federal (MPF-PA) ao Instituto Brasileiro do Maio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

    Para chegar a esta conclusão, os procuradores do MPF tiveram como base um relatório do próprio consórcio, que é obrigado a cumprir as condicionantes sociais e ambientais para reduzir os impactos do empreendimento na região. Sem essas medidas, a licença de instalação da usina deve ser negada pelo Ibama, conforme recomendação do órgão judiciário.

    De acordo com o relatório, a maioria das obras previstas, como a construção de escolas, postos de saúde e infraestrutura de saneamento, ainda está na fase de elaboração dos projetos. Segundo o MPF, cerca de 100 mil trabalhadores deverão ser atraídos para a região pelas ofertas de trabalho na usina. Esse movimento migratório deve começar bem antes da conclusão da maioria das obras preparatórias, prevista para o fim deste ano ou, mais tardar, meados de 2012.

    ResponderExcluir
  10. Will,

    Realmente apenas a lixeira não adianta, o que falta que a concretização das pessoas e uma mudança de comportamento.

    ResponderExcluir